Últimas de Entrevistas

Rolézinho Band, cinco músicos diferentes com uma sonoridade única

Por Tiago Firmino Fotografia: Geovany Cattuco

A Rolézinho Band surgiu há dois anos no panorama musical português, depois de um showcase de Mc Ary, no Copenhaga, um bar em Lisboa, conhecido pela presença do Hip Hop. A necessidade do estabelecimento de ter um show levou Ary a juntar a banda que hoje em dia, depois de ter sofrido algumas alterações no seu alinhamento original, é constituída por Inês, João, Raphael, Allison e Mc Ary.

Lê mais: Uma verdadeira homenagem ao Hip Hop português no 2º aniversário do Rolézinho Band

O conceito desta banda de covers é fundir-se com artistas convidados, de forma a misturar a música dos artistas com a ginga brasileira e no fim obter uma sonoridade única e distinta. No início, a intenção estava em convidar músicos de todos os estilos mas devido à existência constante de material novo no Hip Hop português, a banda decidiu focar-se apenas num estilo.

ANIVERSÁRIO! É isso mesmo! O aniversário de rolé está já aí à porta e vamos fazer uma grande festa para comemorar. QUEM gostarias de ver neste rolé? #rolezinhoband #mainzero

A post shared by Rolézinho (Band) (@rolezinhoband) on

A fama que foram adquirindo ao longo dos 24 meses faz com que o rótulo de underground tenha sido posto de lado. Em entrevista à BANTUMEN, o grupo confessou que o reconhecimento por parte do público foi visível não só através das redes sociais mas também de boca a boca.

Para 2017, a Rolézinho Band pensa em deixar de ser só uma banda de covers ou medleys e a seu tempo podem aventurar-se num projecto de originais. Para já, a meta estabelecida passa por elevar a fasquia e encher salas maiores pelo país inteiro.

Cinco músicos, cinco personalidades diferentes, três brasileiros e dois portugueses, uma riqueza cultural com um único objectivo: Fazer mais e melhor no mundo da música.

Tiago Firmino

Tiago Firmino

Nascido e criado na Margem Sul do Rio Tejo, tenho formação profissional em Jornalismo, na ETIC, em Lisboa. Com 22 anos, tenho mil e um objectivos, mas o dia só tem 24 horas.

Artigos relacionados