Há três anos que Fly Squad levantou o nome do rap em Luanda e há três anos que Fly Squad mantém vivo o rompimento em Angola. Este domingo, o rapper, em conjunto com Malabá e o apadrinhamento de C4 Pedro, fizeram do palco da discoteca King & Queens, em Lisboa, o primeiro palco internacional de Mente Mágika, Tanay Z, Punchlinero e Tchiwanga.

Os “rompidores” angolanos participaram neste segundo desafio contra a equipa da Liga Knock Out – o primeiro aconteceu em Luanda há precisamente um ano – e mostraram que fizeram o trabalho de casa, despejado no microfone rimas e beefs assassinos. Jotta R e Young foram os membros da equipa portuguesa que mais aplausos e apupos arrancaram do público – que encheu por completo o espaço nocturno -, mas Wine e BrakOut também estiveram no ponto, embora, claramente mais fracos liricamente que os seus oponentes, Punchlinero e Tanay Z, respectivamente.

Wine VS Punchlineiro
Winne VS Punchlineiro

No microfone, Malabá e Fly não se coibiram de agradecer a C4 Pedro “o primeiro fora do rap a apostar na RRPL  e a acreditar no sucesso do evento”. O “padrinho” fez parte do “esquadrão” de apoio dos angolanos – tal como Ady Cudz e Os Pilukas –  e ainda se envolveu numa battle com Fly.

A não perder fica a próxima batalha internacional da RRPL, que vai acontecer em Moçambique, numa “segunda-mão” deste campeonato de freestyle.

1 COMENTÁRIO

  1. RRPL is life…
    2M genio do Rompimento
    Tannay Z Alienígena do Rompimento
    Panchlinero o Capitao África
    Tciwanga o Incrivel

    De certeza q os tugas levaram do fucinho…

Comments are closed.