As infecções fúngicas nos genitais masculinos são mais comuns do que possa imaginar. A maioria dos homens pensa que as infeções fúngicas são um problema feminino, mas não são.

Muitas vezes pode estar com a infecção e não saber, pois os homens podem não reagir de imediato, como normalmente acontece com as mulheres. Quando o homem se apercebe de que está com uma infecção fúngica é porque já está a ter sintomas e muitas vezes o fungo já se encontra nos genitais antes disto e até pode já ter transmitido para a parceira.

A infeção fúngica pode causar comichão e irritação nos genitais, erupções avermelhadas e manchas brancas, especialmente na glande, junto ao orifício, corrimento esbranquiçado e ardor ao urinar. A boa notícia é que este tipo de infeções têm tratamento. A má é que os sintomas podem durar cerca de uma semana, até curarem definitivamente.

Vejamos as pessoas que são mais propícias a contrair estas infeções, o que fazer para prevenir e qual o tratamento.

Quem está em risco
Homens não circuncidados: Estudos mostram que os homens que sejam circuncidados são menos propícios a contrair infeções. Os homens não circuncidados têm o prepúcio, pele que cobre a glande (cabeça do pénis), e esta tem de ser sempre muito bem higienizada, pois há maior facilidade de acumulação de bactérias e fungos do que sem o prepúcio. O problema é que o homem pode ter contraído a infeção e não ter qualquer sintoma, mas passa a infecção para a parceira, sem saber que está infectado.

Homens com diabetes: O nível elevado de açúcar na urina, tornam-o um alvo mais atractivo para os fungos e bactérias.

Homens com sistema imunitário enfraquecido: Com o sistema imunitário enfraquecido, os níveis das suas defesas ficam baixos e o seu corpo não consegue reagir à invasão dos microorganismos que causam as infecções.

Homens que estejam a tomar antibióticos: Muito idêntica à situação descrita acima, a diferença é que existem bactérias benéficas ao nosso organismo, que nos podem ajudar no combate à invasão de outros micro-organismos. Mas, quem está a tomar antibióticos acaba por matar muitas das bactérias que são benéficas e torna o nosso organismo mais vulnerável.

Sexo: As infeções fúngicas não são consideradas doenças sexualmente transmissíveis, mas 12 a 15% dos homens começam a ter sintomas como comichão no pénis e vermelhidão após contacto com uma parceira infectada.

Prevenção

Usar Preservativo: Se a sua parceira estiver com sintomas de infecção fúngica, previna-se e tenham relações sexuais com preservativo.

Comunicação: Numa relação a comunicação é a chave para o sucesso em todos os termos, principalmente na saúde, comuniquem um ao outro o que sentem, mesmo que pareça parvoíce, para que possam prevenir o contágio de infecções e cuidar da saúde de ambos.

Sexo: Após as relações sexuais é fundamental lavar os genitais, em caso de possíveis micro-organismos a higienização é essencial para tentar eliminá-los.

Paciência: Se algum dos dois aparenta estar com uma infecção fúngica, sejam pacientes e evitem por uns dias ter relações sexuais. Primeiro porque podem infectar-se um ao outro repetidamente, segundo porque alguns dos sintomas podem ser mais dolorosos após a penetração.

Tratamento:

Pomadas: Vá médico, este é o único que lhe pode dizer exactamente o que tem e pode receitar-lhe um tratamento que seja mais rápido. Não tenha vergonha de falar com o seu médico sobre o seu pénis, os médicos não julgam, até porque para eles é apenas mais uma doença para combater e no que toca à sua saúde não tem de ter vergonha, mas sim coragem para se tratar e ficar bem.

Seco e respirável: Os micro-organismos por norma adoram locais húmidos e quentes. Garanta que usa roupa interior de algodão para que a pele respire e se mantenha seca.

Sem açúcar:  Embora ainda seja uma situação em estudo, deve-se cortar os açúcar e o álcool enquanto se está infectado. Isto porque os micro-organismos alimentam-se de açucares e porque o álcool pode eliminar as bactérias benéficas ao nosso sistema imunitário.

A sua saúde tem de estar sempre em primeiro lugar e embora seja um homem informado, procure um médico se suspeitar de uma infecção genital fúngica. Existem milhares de milhões de micro-organismos e os médicos sabem quais os mais prejudiciais e como eliminá-los corretamente, só eles lhe poderão receitar um tratamento eficaz e que será bem mais rápido do que se tentar automedicar-se.