Sedução

Esse jogo que mexe com as hormonas… Onde, a sensualidade é a arte de provocar. E isso, envolve os sentidos e dá-te os meios pelos quais crias a tensão sexual. É ter tua mão por cima da minha cueca mas não deixar que ela me invada, não ainda, enquanto o meu pescoço pede beijos.

É tirar o meu sutiã e, antes de qualquer beijo ou qualquer mão, colares em mim.

É apalpar o meu seio, onde faz todo o sentido uma mordida no seio esquerdo, uma mão pesada no direito e dedos ágeis descobrindo a minha humidade…

E a sinfonia da tesão soa intensamente… Ter a mão que me aperta o cabelo na pressão perfeita… A mesma que me leva pra perto, pra dentro, pra o caminho…

Me colocar deitada, e provocar o meu riso e o meu desespero. Tocar a campainha e não entrar, mas pior que isso também não me deixar sair.

Me deixar as marcas de uma noite que ainda nem aconteceu, mas que já me deixa assim: prestes a gozar a cada vírgula. Me ter com reticências, porque são três pontos que escondem o que está por vir: cumplicidade, olhar, mãos, corpos, suor. Expor as cartas na mesa acaba com a dança da sedução.

Desci da secretária e fechei as cortinas, sem me despedir. No dia seguinte, quando voltei para o trabalho, o chefe estava a sair para uma reunião. Na minha roupa séria e comportada, esbocei um sorriso ingénuo e, como se a noite anterior nunca tivesse existido, disse, como de costume:

Bom dia, Dr.!


E algo me dizia que, o dia realmente seria bom.
Porque contigo eu não venho… Você busca!

Sobre a Edna:

Activa, complexa e faminta.

…Por letras, sabores, verdades, rumores, amores, horrores, paixão, tesão… Enfim.

Uma vida perfeita ou cheia de cautelas, como se pisasse em ovos a cada passo, não teria a ver consigo. Seria sem graça demais. Gosta de correr riscos.

Os ilesos não vivem e eu só estou a fazer o que eu acho certo: viver…  Então vem e mergulha comigo.