Calma, não corra já para a farmácia, leia o artigo até ao fim. 
Conhecido por potenciar o apetite sexual masculino, o Viagra tem consequências que vão além do físico masculino. Uma equipa de investigadores europeus descobriu que o famoso comprimido azul pode atrasar a propagação da malária.

  
Pesquisadores afirmam que o medicamento altera a formação dos glóbulos vermelhos, que transportam o parasita, incentivando as funções imunológicas do baço, facilitando assim a remoção do agente infeccioso do corpo. 
Quanto menos glóbulos vermelhos estiverem infectados, menor a probabilidade do mosquito contrair o parasita da malária (Plasmodium falciparum), quando se alimenta. Combater esta transmissão do parasita para o mosquito é crucial para o combate global desta doença infecciosa. 

Através de ensaios experimentais com baço artificial, os pesquisadores descobriram que o medicamento Viagra, também conhecido por Sildenafila, torna os glóbulos vermelhos mais rígidos, inibindo a enzima que os torna esponjosos.  Por norma os glóbulos vermelhos infectados não são detectados pelo baço, por apresentarem a mesma forma esponjosa dos glóbulos saudáveis. 
  
De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), mais de 198 milhões de pessoas estavam infectadas com Malária em 2013 e mais de 500 mil morreram desta doença no mesmo ano.  
Em Angola o cenário é igualmente preocupante, só este ano de 2015, em Luanda, 400 pessoas morreram infectadas por Malária, dos 180 mil casos registados.  

Já sabe, um motivo extra na hora de pedir ao médico a prescrição deste medicamento. Mas não se esqueça de que os medicamentos são bons para umas funções, mas podem ser prejudiciais para outras. Aconselhe-se com o seu médico e cuide-se de forma equilibrada e informada para que obtenha o resultado ideal.