Joseph Blatter colocou hoje, dia 2 de Junho, o seu lugar de Presidente da FIFA à disposição, após ter sido reeleito há quatro dias, para o quinto mandato. Parece que o Suíço, de 79 anos, não resistiu ao escândalo de corrupção que se instalou sobre a FIFA e tal, fez tremer o orgão máximo de futebol.

Blatter anunciou que serão convocadas eleições antecipadas para encontrar um sucessor “o mais depressa possível” e anunciou que não será candidato. Poucos minutos após Joseph Blatter ter feito o comunicado em Zurique, o príncipe Jordano Ali bin Hussein revelou que se irá candidatar a um novo procedimento eleitoral, após ter batalhado com Blatter nas eleições da semana passada, acabando por desistir antes da segunda volta.

Blatter diz que embora esteja legitimado pelos membros da FIFA, não se sente mandatado por todo o mundo do futebol, adeptos, jogadores ou clubes.

O congresso eleitoral extraordinário da FIFA para decidir o sucessor  vai ser marcado entre Dezembro deste ano e Março de 2016, deverá realizar-se na Cidade do México, anunciou Domenico Scala, presidente da Comissão de Auditoria da FiFA.

Todo este repentino acontecimento parece dar ênfase as noticias passadas, sobre uma investigação fulminante que explora e descobre a corrupção desenfreada entre a organização. Com acusações de suborno, a vitória curiosa do Qatar para receber a Copa do Mundo e a investigação do FBI nos negócios da FIFA e seus dirigentes, mostram como atrás do grande jogo também existe também o elemento criminoso em todo o globo.