Sabemos que curtes beber da boa e fresca gasosa logo às 8 da manhã para acompanhar a magoga da tia da esquina, mas lê com atenção o que escrevemos em seguida.

Entre 1980 e 2010, 133 mil pessoas tenham morrido devido a diabetes, 45 mil a patologias cardiovasculares e estima-se 6.450 devido a cancros associados ao consumo de bebidas açucaradas.

“Muitos países no mundo apresentam um elevado número de mortes causadas por um único fator dietético — os refrigerantes e outras bebidas açucaradas (…), pelo que reduzir significativamente [o seu consumo] ou eliminá-las da dieta deve ser uma prioridade à escala planetária”, defendeu Dariush Mozaffarian, o principal autor do estudo e decano da Faculdade de Ciências da Nutrição da Universidade de Tufts, em Boston (Massachusetts).

As estimativas de consumo foram efetuadas a partir de 62 inquéritos alimentares preenchidos por 611.971 pessoas entre 1980 e 2010 num total de 51 países.

Os investigadores também estimaram as quantidades de açúcar disponíveis, a nível nacional, em 187 países e estabeleceram uma analogia entre a incidência da diabetes, de patologias cardiovasculares e cancro segundo zonas geográficas e as suas populações.

Cerca de 76% das mortes ligadas ao consumo de refrigerantes e de outras bebidas açucaradas ocorreram em países de baixos e médios rendimentos.

No total, a proporção de jovens adultos que sofrem de doenças crónicas como a diabetes, atribuídas ao consumo destas bebidas, mostrou ser maior do que a dos adultos mais velhos.