Ao contrário do que acontece com os homens, o orgasmo feminino não tem uma função clara nesse acto de dar continuidade à espécie humana. O orgasmo masculino serve para produzir esperma, que garante a reprodução, mas e a mulher? Que papel, fisiológico, tem o orgasmo feminino?

Há quem acredite que, tal como os mamilos nos homens, o orgasmo feminino -machismos à parte – não tem qualquer utilidade biológica. Logo, na mesma linha de raciocínio, o sexo oral serve única e exclusivamente como fonte de prazer.

O departamento de psicologia da Oakland University, nos EUA, analisou o comportamento de 243 casais heterosexuais nos EUA e na Alemanha (clique aqui para ler o PDF) para desmistificar a teoria de que o orgasmo feminino causa um aumento da pressão negativa dentro da vagina – o que estaria relacionado às contrações geradas ali nesse momento mágico – , e que isso poderia “sugar” mais facilmente o esperma para dentro dos óvulos, aumentando sua fertilidade caso a ejaculação masculina ocorresse num período próximo.

 landscape-1432312114-ht-friends-with-benefits-03-150522-2

Mas como os próprios cientistas admitem, a teoria não pode ser comprovada, pois até agora nenhuma pesquisa demonstrou que orgasmos atingidos ao mesmo tempo pelos parceiros são mais férteis, muito menos que a sequência “cair de boca – fazer a parceira gozar – ejacular logo depois” aumenta as chances de gerar um filho. Entre os casais, pouquíssimos conseguiram reproduzir tal sincronia. O sexo oral, portanto, não surgiu como um aprimoramento evolutivo da arte de procriar.

Resta a explicação mais sensata, mas menos científica: o cunnilingus existe porque permite ao homem dar grande satisfação à mulher, reforçando o vínculo, a confiança e a atração entre eles – e por tabela aumentando a chance de este homem ser o escolhido para procriar.

Os americanos relacionam esse comportamento ao medo que os machos sentem de perder a parceira para um concorrente, no que os cientistas do comportamento de animais chamam de “risco de concorrência entre espermas”.

Humor à parte, o facto é que, se as explicações para o sexo oral tendem ao simples hedonismo, a existência do orgasmo feminino permanece um grande mistério, tanto para os cientistas quanto para os homens à procura do par perfeito.   O bom da “coisa” é que ,volta e meia, vamos tendo resultados de estudos como este para nos animar os fins-de-semana menos interessantes.