Dar uma última revisão no estudo para um exame antes de ir para a cama, pode ser uma boa tática para os estudantes, de acordo com um novo estudo nos benefícios do “dormir sobre o assunto”.

Dormir quase que duplica a probabilidade de relembrar a informação esquecida anteriormente, descobriram recentemente os investigadores. Eles acreditam que o sono torna as memórias mais acessíveis e afinam o nosso poder de repescá-las.

Os voluntários que participaram no estudo foram propostos a se recordarem de palavras especificas que tinham dito, antes de uma noite de sono ou após 12 horas sem dormir.

Os que ficaram no turno de sono eram muito melhores a se recordarem das palavras, do que os participantes que permaneceram no turno dos acordados.

O psicólogo Dr. Nicolas Dumay, da Universidade de Exeter, disse: “O sono quase que duplica as nossas chances de recordar material previamente esquecido”. “O impulso pós-sono na acessibilidade á memória pode indicar que algumas memórias são afinadas durante a noite (ou o período do sono). Isto realça o facto de que, enquanto dormimos, nós exercitamos activamente informações marcadas como importantes.”

“É necessária mais investigação em relação ao significado funcional desta activação e se, por exemplo, ela permite que as memórias sejam acessíveis em qualquer tipo de contextos, de modo a que se tornem mais úteis.”

Dr. Dumay acredita que o impulso na memória vem do hipocampo, uma parte do cérebro que tem um papel importante no recordar.

Durante o sono, episódios de memória recente, codificados, são descodificados e recolocados na região do cérebro que esteve envolvida originalmente na sua captura.