Antes de ir ao tema. Por favor parem de dizer “talo”. A palavra certa é “tal”. Cada vez que alguém diz mal, há um macaco na Barra da Kwanza que tem um enfarte. É sério. Não.

Vamos lá: conhecem a marca de preservativos Control? Acho que vendem aqui na Banda, não estou certa. Houve uma activação da marca num festival em Lisboa em que os participantes poderiam simular uma relação sexual (penetração, portanto) e ver quantas “batidas” conseguiam dar em determinado espaço de tempo. Pelo menos foi isso que entendi, mas não confiem muito no que vos digo.

Não quero imaginar a cara dos pais daqueles jovens se, porventura, algum dia visualizarem o vídeo e verem as suas filhas ou filhos em posição frango assado a simular uma relação sexual à vista de quem passasse. Outras coisas é azar, ya?

Eu ri muito ao ver vídeo, embora reconheça que teria vergonha de ver os meus filhos a protagonizar uma situação daquelas, mas convenhamos que é este tipo de conteúdos que todos gostamos e nos divertem e, se calhar, até nos estimulam. Hipocrisia não é fixe mas há sempre um pessoal que fica muito ofendido. Eu não estou a dizer que é normal, atenção. Mas epa… Pode-se escrever “lol” aqui?

Em Portugal, o vídeo está a causar polémica e a questão que surge nas redes sociais é se a marca terá exagerado na “brincadeira”. Eu não sei o que pensar, mas gostava que vocês partilhassem comigo a vossa opinião.

Também não quero imaginar a cara da minha mãe se, porventura, algum dia descobrir sobre que assuntos escrevo eu aqui. Há pessoas que gostam de procurar sarna só mesmo pelo prazer de se coçar.

Vejam só o vídeo.