Com uma redução nos lucros de 8% comparativamente ao ano passado, a Samsung admite que o lançamento dos seus 2 topos de gama não correu como esperado e que não conseguiram o retorno esperado nem o incremento nas vendas que pretendiam.

Na verdade devido aos custos do marketing e ao baixo volume de vendas do S6 e S6 Edge, o impacto financeiro que estes dois equipamentos tiveram nas contas da Samsung foram mínimos.
galaxy_s6_edge_top_gold_01

A Samsung admite esperar um ambiente bastante complicado na segunda metade deste ano, estando já a prever uma ligeira revisão dos preços do S6 e do S6 Edge, acompanhado da introdução de novos equipamentos topo de gama no mercado (Note 5 e o S6 Edge+) que devem ser revelados no dia 13 de Agosto no evento Unpacked que vai decorrer em Nova Iorque.

A questão que se coloca aqui é se a Samsung será capaz de competir neste mercado feroz, onde a Motorola, Xiaomi, OnePlus, Apple e outros intervenientes têm uma palavra a dizer e com o lançamento dos novos equipamentos topo de gama 1+2, iPhone 6S, Moto X Style, LG G4, etc, não vai certamente facilitar a venda dos novos telefones da Samsung, que contínua com a mesma política de inundar o mercado com dezenas de telefones todos os anos, contribuindo para a fragmentação do mundo Android.

Será que o lançamento dos novos equipamentos será benéfico? O Note5 tem o seu próprio mercado, mas o S6 Edge+ poderá ser apenas mais um, num mercado já saturado conseguindo desta forma até remover o interesse dos clientes numa potencial compra de um S6/Edge.