Situada no território onde das raízes étnicas e históricas, a província do Zaire exibe as suas tradições milenares através de monumentos arquitectónicos, como museus, igrejas, prédios públicos, túmulos e locais sagrados onde viveram aqueles que são considerados os primeiros angolanos.

Sabia que o rio Zaire, com mais de quatro mil quilómetros, é o segundo maior rio de África e o sétimo do mundo?

É ali que se situa a antiga cada do rei M’Banza Congo e ainda a primeira igreja de Angola, a Catedral. Construída em 1491 é considerada a igreja mais antiga da África sub-saariana e, localmente, é conhecida como “Nkulumbimbi”. A lenda diz que a Catedral foi construída por anjos durante a noite, ou pelo menos é no que acreditam o habitantes da região.

Em M’Banza Congo também se pode encontrar a Jalankuwo, a árvore do julgamento, onde a tradição diz que era lavados os corpos dos reis antes do enterro.

O Museu Real, recentemente reconstruído como uma estrutura moderna, abriga uma impressionante colecção de artefactos do antigo Reino, embora muitos tenham sido perdidos no antigo edifício durante a guerra entre 1976-2002.

Se estiver de visita ao Zaire, aconselhamos-lhe também a Pedro do Feitiço, os canais Pululu e Kimbumba, ideais para se contemplar a paisagem de canoa motorizada, a ilha do Mabubu, ela para repouso e turismo, a Foz do rio Congo, onde o encontro com o mar provoca um ruidoso espectáculo de rara beleza.