As revistas têm desde há muito tempo actuado como um barómetro de costumes sociais e assuntos, com as suas capas a ficarem muitas vezes para a história por retratarem poderosamente o “espírito” dos tempos.

Cheng e Jerry Gabra examinaram a maneira de como algumas das publicações mais proeminentes das revistas mudaram com o tempo (ou não) com o passar do último século.
Junto com a convergência para as mulheres parcialmente vestidas e a gradual cobertura com texto berrante — técnicas refinadas e empregues para vender mais cópias — também observamos algumas tendências sociais como o aumento da sexualização da mulher, o valorização dos direitos das femininos, o aparecimento de mais minorias, assim como minorias sexuais representadas pelas capas de Vanity Fair de Caitlyn Jenner.