Após um homem de 56 anos ter passado por uma falência renal, os seus médicos descobriram que o seu hábito de beber excessivas quantidades de chá gelado todos os dias terá sido o culpado, de acordo com uma notícia do The Guardian.

As funções renais do homem não foram recuperadas e este permaneceu em hemodiálise, disse a Dra. Alejandra Mena-Gutierrez, da Universidade de Arkansas, EUA, que tratou o paciente e escreveu o relatório do caso. Os autores do relatório sublinham que a moderação é fundamental quando se trata de beber chá.

“Nós não estamos a aconselhar contra o consumo de chá”, disse Mena-Gutierrez. “Se fores saudável e beberes chá com moderação, não deverá causar estragos nos teus rins.”

Em Maio de 2014, o homem foi admitido no hospital de Arkansas, sentindo fraqueza e dor. Testes mostraram que a sua urina tinha elevados níveis de cristais de oxalato de cálcio, que são os componentes das pedras nos rins.

Mas o homem não tinha histórico de doença renal, nem sequer teve pedra no rim anteriormente, de acordo com o relatório. Para tratar a falência nos seus rins, os médicos iniciaram a diálise.
ice Tea

O homem disse aos seus médicos que bebia 16 copos de chá gelado por dia. Chá preto — que era o chá gelado que o homem bebia — é uma fonte rica de oxalato, um composto que pode contribuir para problemas nos rins, se consumido em elevadas quantidades.

Os médicos concluíram que o excessivo consumo de oxalato, no chá gelado, provavelmente levou á falência renal que progrediu rapidamente.
“A condição do paciente não pode ser explicada por outro motivo, neste caso”, explica Mena-Gutierrez.

Existem entre 50 a 100 mg de oxalato por cada 100ml de chá preto, explicam os investigadores no relatório. “Com 16 copos de chá diários, o consumo diário de oxalato pelo paciente, era mais do que 1500 mg. Sendo que a dose diária recomendada é de 40 a 50 mg, este paciente consumiu em excesso e ultrapassou severamente a dose diária recomendada.” explicam os investigadores.

Num outro relatório publicado em 2013 pelo New England Journal of Medicine, pesquisadores descreveram um caso raro de doença óssea designada fluorose esquelética numa mulher que bebia uma jarra de chá feita a partir de 100 sacos de chá, por dia, durante 17 anos.

No caso desta mulher, a sua doença óssea foi provavelmente causada pelo consumo excessivo de fluoreto, um mineral que se encontra no chá e na água, de acordo como relatório dos investigadores.