Jovens que bebem em grande quantidade bebidas energéticas estão mais sujeitos a contrair danos cerebrais do que aqueles que não consomem as bebidas altamente cafeínadas, sugere um novo estudo feito no Canadá.

Investigadores analisaram informações de exames de mais de 10 000 estudantes do secundário e ensino médio de Ontário, entre os 11 e os 20 anos, em 2013. Foi questionado aos alunos sobre os seus hábitos de consumo de bebidas energéticas, assim como se tinham passado por algum trauma cranioencefálico (TCE), significa que sofreram uma pancada na cabeça que os deixou inconscientes por pelo menos 5 minutos, ou resultou numa internação hospitalar.

Cerca de 22% dos estudantes disseram que tinham vivido um TCE durante a sua vida e 6% disseram que tiveram um TCE no último ano. A maioria destes danos ocorreram enquanto os jovens estavam a praticar desportos.

Existia uma ligação entre o consumo de bebidas energéticas e ter sofrido um TCE. Na análise dos investigadores, eles compararam as probabilidades dos jovens terem sofrido TCE no ano anterior, com as probabilidades de não terem sofrido um. Eles descobriram que para jovens que tinham por hábito consumir bebidas energéticas na última semana, o aumento da probabilidade de sofrer um TCE era cinco vezes maior do que para os jovens que não tinham o habito de as consumir.
Bebidas energéticas

Por outras palavras, jovens que consumiam estas bebidas estavam muito mais sujeitos a sofrer um TCE do que aqueles que não as consumiam.

As descobertas são preocupantes, porque as bebidas energéticas podem interferir com a capacidade do corpo para se curar de um TCE, é ainda mais preocupante em adolescentes pois os seus cérebros estão ainda em desenvolvimento, explicaram os investigadores. É igualmente possível que o consumo de bebidas energéticas possa aumentar as chances de uma pessoa sofrer outro TCE.

Contudo, o estudo apenas encontra uma associação entre as bebidas energéticas e os TCE; os investigadores dizem não saber o que acontece primeiro e não conseguem provar que o consumo das bebidas energéticas aumente o risco dos jovens sofrerem um TCE.
É possível que pessoas que consomem estas bebidas também tenham outros factores que as levem a sofrer um TCE. Por exemplo, estes indivíduos podem ter uma tendência para este tipo de risco.
As novas descobertas podem não ser surpreendentes, dado que estudos anteriores tinham descoberto que jovens atletas muitas vezes consomem bebidas energéticas e são também um grupo em risco de sofrer TCE, dizem os investigadores. Mas, novos estudos descobriram também uma ligação entre o consumo de bebidas energéticas e TCEs, em que os adolescentes recebem este dano de outra forma, como cair ou entrar em lutas.

Estudos futuros são necessários para se entender melhor a razão para esta ligação entre o consumo dessas bebidas e TCEs e para se examinar exactamente o porquê de os adolescentes estarem a consumir estas bebidas.