É raro, mas pode acontecer. “80 por cento dos homens não tem noção de que podem contrair cancro da mama” diz Meg Campion que combate juntamente com o marido a doença que afecta os dois há dez anos.

Hoje, usam a sua história para angariar fundos para a doença, sobretudo no que aos homens diz respeito, conta o Huffington Post. “Se isto ajudar a prevenir uma família de perder um pai ou um marido, é por isso que o fazemos”, afirma Meg.

Samuel L. Jackson e Mark Ruffalo são também os novos rostos da instituição One For The Boys, que alerta para o cancro da mama masculino. Os actores têm partilhado fotografias nas redes sociais em topless, para apoiar a campanha In The Nip Of Time, que pretende quebrar preconceitos sobre esta doença.

Num dos vídeos de uma campanha, Jackson diz: “os homens não têm simplesmente mamas de homem. Podem ter cancro também. Não sejas o tipo forte e silencioso. Diz alguma coisa.”

Em Angola,  tal como no resto do mundo, pouco (ou nada) se fala sobre o assunto. No mês Outubro Rosa, para relembrar as vítimas da doença, vale a pena frisar que cancro da mama também é um assunto de homem. A prevenção é essencial. Se notar alguma saliência, secreção ou dor consulte o seu médico.

Entretanto, este sábado vai haver uma caminhada contra o cancro da mama, em Luanda. É um gesto simbólico e de sensibilização organizado pelo Instituto de Controlo de Cancro, com o apoio do Standard Bank. Assinalando o Dia Mundial da Luta Contra o Cancro, a marcha vai começar no Largo 1.º de Maio e vai terminar no Instituto Angolano de Controlo de Cancro, na Maianga.

O objectivo deste encontro é que os participantes se solidarizem com os pacientes e se consciencializem sobre a importância da prevenção, das idas regulares ao médico, do controlo efectivo da sua saúde porque “Prevenir é melhor que tratar”, diz a organização.