Um estudo dinamarquês defende agora que se quiser recuperar o seu bem-estar social e a concentração o melhor é abandonar o Facebook.
As pessoas que deixaram esta rede social, durante uma semana, sentiram-se mais felizes e satisfeitas com a sua vida do que as que, no mesmo período, puderam aceder à plataforma, de acordo com os autores da investigação,”Escolhemos o Facebook, já que é a rede social mais utilizada por pessoas de todas as idades”, explicou Meik Wiking, director do Instituto de Pesquisas sobre a Felicidade, à agência de notícias France Presse.

O estudo envolveu 1095 pessoas, todos da Dinamarca. O grupo foi dividido em duas partes: metade continuou a aceder ao Facebook, enquanto a outra metade deixou de utilizar a rede social.

A investigação indica que 88% das pessoas que deixaram o Facebook durante sete dias admitiram sentir-se mais felizes. Do mesmo modo, 84% das pessoas envolvidas disseram que conseguiram, por isso, apreciar mais a vida. Apenas 12% das pessoas afirmaram estar insatisfeitas por não poderem utilizar a rede social.

“Em vez de nos concentrarmos no que precisamos, temos o hábito de nos concentrarmos nas coisas dos outros”, comentaram os autores do estudo relativamente à utilização desta rede social.