Com o objectivo de celebrar a nova imagem da Sumol (uma imagem mais jovem, mais fresca e radical, como afirma a marca), o evento Sumol FreeStyle esteve repleto de irreverência, adrenalina, gente jovem e diferente.

Quem decidiu passar o seu final da tarde de sábado, 28, no Estádio dos Coqueiros, Luanda, e estava à espera de algo alegre e positivo, com certeza que não se arrependeu.

À entrada, os participantes foram recebidos de forma original: com a oferta de uma t-shirt Sumol, convidados a vesti-la e, de repente, salpicados por jactos de tinta fluorescente para a animação começar. Dentro do recinto, esperava-os Geovani Comandala, apresentador do programa de música “Made in Angola”, foi o MC que, com muita disposição e alegria, apresentou todos os intervenientes e momentos do evento.

DR/Bruno Fonseca
DR/Bruno Fonseca

DJ Leandro, o primeiro a tocar no alto da sua torre de DJ, convidou o vencedor do melhor “beat” do concurso do Facebook da Sumol Angola a juntar-se a ele e a receber como prémio uns headphones.

Quem também recebeu prémios dos concursos da rede social foi o melhor esquema de patins e de skate, que levaram para casa patins e skates longboards. Os prémios não ficaram por aí e havia ainda umas colunas portáteis para entregar ao melhor jovem que, no palco, fosse escolhido pelo público como melhor dançarino Freestyle.

A par destes momentos em palco, havia pistas de skate e patins a serem percorridas pelos participantes, a maioria jovens e muitas crianças, que, sem medo, enfrentaram os obstáculos montados. Para quem quisesse experimentar skimboard, uma piscina em forma de pista foi também montada para os participantes deslizarem nas pranchas.

DR/Bruno Fonseca
DR/Bruno Fonseca

Os Kalemba Skim, projecto social que a Sumol apoia há três anos, que tem como objectivo a ocupação dos tempos livres e a diminuição da criminalidade juvenil através dos desportos radicais, estiveram presentes para mostrarem as suas habilidades e ajudarem aqueles a experimentar o que é estar em cima de uma prancha.

Para os mais criativos, um mural branco começou a ser preenchido por grafitis feitos por artistas, que convidavam o público a participarem também. A obra de arte final foi guardada e será afixada nas instalações da Sumol.

Luísa Silva, responsável pela Sumol Angola, mostrou-se satisfeita com a adesão e afirma que “foi uma primeira experiência muito positiva, um conceito novo. Aprendemos muito, é claro, mas sobretudo deu-nos imensa vontade de voltar a repetir”.