É verdade que relacionamos o cancro oral ao consumo de tabaco ou de álcool em excesso, mas existe outra causa desconhecida pela maioria.

72% dos cancros da orofaringe (os que se desenvolvem no fundo da boca) são causados pelo vírus do papiloma humano, uma doença sexualmente transmissível, indica do Huffington Post.

Os homens têm seis vezes mais probabilidade de serem infectados  do que as mulheres, embora o número de casos em mulheres tenha aumentado.

Se se identificar um corte ou ferida que demoram muito para sarar; rouquidão duradoura, algo de estranho na pele à volta dos lábios e na face, incluindo marcas assimétricas ou que mudam de cor; altos no pescoço ou por baixo do maxilar, consulte o seu médico. Pode até nem ser nada de mais, mas mais vale prevenir. Até porque este tipo de cancro tem uma taxa de sobrevivência de 80 a 90%, se for detectado cedo.

O melhor mesmo é proteger-se durante o acto sexual e efectuar testes de despiste com regularidade, quer tenhas ou não um parceiro fixo.

O que é o Papiloma Vírus Humano – HPV?

Como o nome faz supor, o HPV é um vírus frequente nos humanos, responsável pela formação de lesões chamadas papilomas. Existem diferentes tipos de HPV que podem levar a diferentes resultados em saúde ‐ alguns tipos podem infectar a área anogenital, enquanto outros infectam áreas como os pés ou as mãos, onde podem originar verrugas ou “cravos”. Os vírus que infectam a área anogenital podem ser transmitidos durante o sexo vaginal, oral ou anal, ou durante o contacto íntimo de pele com pele entre pessoas em que pelo menos um esteja infectado. O HPV é detectado em praticamente todos os casos de cancro cervical. Também pode estar associado a outros casos de cancro como o da vulva, pénis, ânus, entre outros, mas estas associações ainda estão a ser investigadas. Estima‐se que o HPV seja uma das infecções de transmissão sexual mais frequente em todo o mundo. Foram identificados muitos tipos de HPV, poucos tendo o potencial de levar ao cancro. Actualmente existem 2 vacinas que oferecem protecção para os tipos 16 e 18, responsáveis por cerca de 70% de casos de cancro do colo do útero, uma delas protege também para os tipos 6 e 11 responsáveis por cerca de 90% das verrugas anogenitais.

Quais os sintomas de infecção pelo HPV? 

O HPV provoca frequentemente uma infecção silenciosa em que muitos dos infectados não têm sintomas, nem sinais óbvios. Por vezes as verrugas estão presentes mas não visíveis por se encontrarem numa parte interna do corpo, ou por serem muito pequenas.   As verrugas anogenitais, também chamadas condilomas, podem apresentar‐se como pequenas lesões elevadas, tipo couve‐flor, ou podem ser planas. Nas mulheres, as verrugas podem aparecer na vulva, colo do útero, coxas, ânus, recto, ou uretra. Além do componente físico, podem associar‐se a problemas emocionais e sociais.   O HPV não parece afectar a capacidade de engravidar. Em situações muito raras, o HPV pode alojar‐se na orofaringe da criança infectada durante o parto. A sua excepcionalmente rara ocorrência, não constitui recomendação para cesariana como procedimento de rotina, a não ser que haja outras razões envolvidas. Durante a gravidez, o número e tamanho das verrugas pode aumentar, mas normalmente diminuem depois do parto