Pierre-Emerick Aubameyang, avançado gabonês do Borussia Dortmund, foi eleito o futebolista africano do ano, acabando assim com o reinado de Yaya Touré, que se mostrou bastante desagradado com a derrota.

O melhor marcador da Liga alemã bateu o jogador costa-marfinense do Manchester City, que procurava vencer o prémio pela quinta vez consecutiva, e que se mostrou desapontado com a derrota.

«Estou muito, muito desapontado. É triste ver a África reagir deste modo, que não valorizam as conquistas nas competições africanas. Acho que situações destas apenas envergonham África. Esta situação é indecente, mas o que podemos fazer acerca disto? Nós africanos, não mostramos que África é importante. Não, preferimos aquilo que está no estrangeiro do que no nosso próprio continente. Acho que é patético. Até a FIFA, com a toda a sua história de corrupção, não faria isso», afirmou Yaya Touré, em declarações ao Afrique Foot.

O médio, de 32 anos, foi o capitão da Costa de Marfim, que venceu a Campeonato Africano das Nações (CAN) no ano passado, algo que já não acontecia desde 1992, e foi nomeado para melhor equipa do torneio.

O ganês Andre Ayew do Swansea ficou em terceiro na votação, revelada na gala da Confederação africana de futebol, que decorreu em Abuja (Nigéria).