Há pouco tempo, o mundo da moda viu ser levantada a questão da aparência sem género (o último caso foi o filho de Will Smith que lançou a última colecção feminina da Louis Vuitton), mas agora, durante a última Pitti Ummo 89, em Itália, há outro debate  nas “roupas do povo”: a aparência sem estar ligada a uma idade ou a um tempo em específico na cronologia fashion.

A feira, que termina hoje na cidade de Florença, tem como tema “Geração”, porque vivemos “numa era onde a idade é cada vez mais um estado de espírito onde há homens maduros em jeans, camisas e barbas, com ares vitorianos e uma paixão pelo vintage”, disse Agostino Poletto, vice-director geral da Pitti Imagine à Vanity Fair.

A ideia é propor um guia semi-sério que saia do conceito de tempo e que possa saltar entre gerações: a barba espessa que faz lembrar os tempos peludos da era vitoriana; a franja e os tufos do império Romano; o estilo clássico dos anos 60, entre outros.

Vê a galeria.