Um homem que passou 18 anos detido injustamente e que dois anos depois de libertado volta a ser detido por um crime que afirma não ter cometido. Este é o tema da nova série sensação da Netflix, Making a Murder (cometer um assassínio, na tradução livre), que conta a verdadeira história de Steven Avery.

A vida real é pródiga em apresentar enredos e personagens que parecem inalcançáveis ao mais inventivo dos roteiristas.

Um exemplo recente dessa recorrente assertiva é a série documental Making a Murderer, que a Netflix estreou mundialmente na surdina, a 18 de dezembro. Investindo no rico manancial da crónica policial, a trama está a ser descoberta aos poucos e a tornar-se na sensação da temporada, com uma óptima avaliação do público e da crítica.