Max Caldwell, especialista em eficácia da força de trabalho, explica que os funcionários que bajulam a chefia não se limitam a tentar fazer um bom trabalho, mas querem que todos percebam que estão a fazer um bom trabalho.

E o facto é que, este comportamento tende a aumentar em situações de crise económica , devido ao risco elevado de desemprego. “É o que fazemos quando nos sentimos vulneráveis às decisões de outros», indica o especialista.

Jennifer Chatman, professora de comportamento organizacional na Universidade da Califórnia em Berkeley, EUA, explica que “num ambiente como este, os subordinados podem elogiar decisões erradas de um chefe e evitar falar com franqueza ou transmitir más notícias”.

Além disto, há outros pesquisadores, da Universidade do Texas, que indicam que  contestar menos o que diz um chefe, fazer mais elogios, fazer-lhe favores pessoais, etc, aumenta em 64 por cento a probabilidade de um funcionário ser promovido.