A gigante desportiva Nike cancelou o contrato promocional com o pugilista Manny Pacquiao. Na base do rompimento contratual estão comentários sobre homossexuais, que segundo o atleta filipino são “piores que animais”.

Em comunicado, a Nike qualificou o comentário de “abominável” e garantiu que se opõe “ferozmente à discriminação de qualquer tipo” e que a empresa tem “um longo historial de apoio e defesa da comunidade LGBT” (lésbicas, gays, bissexuais e transgénero).

“Deixámos de ter uma relação com Manny Pacquiao”, sentenciou a Nike, que colocou um ponto final a mais de oito anos de promoção da marca pelo filipino.

O pugilista, que deve pendurar as luvas até Maio para se candidatar ao sendo das Filipinas, desculpou-se pelas suas palavras mas mantém a mesma opinião. “Peço perdão por ter causado danos às pessoas comparando os homossexuais a animais”, escreveu.

“Ainda sou contra o matrimónio entre pessoas do mesmo sexo pelo que diz a Bíblia, mas não estou a condenar os LGBT”, acrescentou.