Já aqui falamos sobre o Zika, a doença que está a alarmar a comunidade internacional e que levou a Organização Mundial de Saúde a lançar um alerta para práticas sexuais seguras ou mesmo considerar a abstinência.

Num guia sobre “A prevenção da possível transmissão sexual do Zika”, a organização adianta que as pessoas que vivem naquelas zonas “deveriam considerar práticas sexuais seguras ou absterem-se da atividade sexual”, sem precisar durante quanto tempo.

No guia agora divulgado, a agência da ONU aconselha as grávidas que residem ou regressem de zonas afetadas pelo vírus a praticarem sexo seguro ou optarem pela abstinência “durante toda a gravidez”.

“As mulheres que tiveram sexo sem proteção e não querem ficar grávidas deviam ter acesso a serviços de contraceção de emergência”, defende a organização.

Entretanto, nos EUA, há um grupo farmacêutico, Inovio Pharmaceuticals, que está a desenvolver uma vacina contra o vírus e que irá iniciar testes em humanos antes do final deste ano.