Quando precisas de uma escova de dentes nova, por norma, vais ao supermercado e agarras em qualquer uma, certo?

Estás errado. Há algumas características a ter em conta, segundo a revista brasileira Saúde:

1. Formato da cabeça. Quanto mais delicada for a escova, melhor. Uma cabeça muito grande dificulta a limpeza na parte superior da boca, principalmente os dentes mais ao fundo. Opta pelas versões mais pequenas e com um formato oval.

2. Limpa-língua. Ainda não existe consenso sobre a eficácia ou não deste extra na escova de dentes. Quer o tenha ou não, é importante limpar a língua quando escovas os dentes, mesmo que seja com os filamentos da escova.

3. Suavidade dos filamentos. Como é comum que a mão fique ‘pesada’ durante a escovagem, não é aconselhável usar escovas com filamentos duros ou médios, já que o risco de desgaste do esmalte e de ferimento das gengivas é maior. Opta por escovas com filamentos macios ou extramacios.

4. Número de filamentos. Embora não existam recomendações formais, os dentistas dizem que um maior número de cerdas (filamentos) é vantajoso para uma melhor limpeza dos dentes.

5. Tipo de cabo. Para garantir a segurança na escovagem, opta por modelos com cabo em borracha ou com um design mais liso. Evita escovas com ranhuras, uma vez que aqui se acumulam sujidade e bactérias.

E não te esqueças que é essencial mudar de escova a cada dois ou três meses, para evitar a proliferação de bactéria.