Tomar um comprimido não será a solução para todas as tuas questões na cama: homens que tomam certos medicamentos para a sua disfunção eréctil continuam a relatar problemas na sua vida sexual, como mostra um estudo efectuado em Inglaterra.

Apesar de esperançosos 80% dos homens, perto dos 50 anos, que usam inibidores PDE5 — uma classe de medicamentos para a disfunção eréctil que incluem Viagra, Cialis e Levitra — verificarem um efeito positivo, ou muito positivo, a maioria pode continuar a ter algumas dificuldades.

No estudo, estes homens relatavam mais dificuldade em atingir o orgasmo e alguns altos níveis de preocupação com a sua actividade sexual, função e relacionamento do que os homens sem disfunção eréctil.

African American man taking vitamin
African American man taking vitamin

Portanto, inibidores dos PDE5 são eficientes em auxiliar os homens a conseguir ter e manter a erecção, o suficiente para conseguirem ter actividade sexual, explica o Dr. David Lee, autor do estudo. Mas, a percepção geral da vida sexual do homem depende de muito mais do que apenas a restauração da função eréctil, indica o investigador.

Algumas drogas como o Viagra até podem ajudar-te a “levantar” na altura necessária, mas não irá apagar todas as preocupações que tens sobre o teu membro. A melhor coisa que deves fazer é manter as expectativas quando tomas a medicação — e ter uma conversa séria com o teu médico sobre qual a tua condição real e seguir os seus conselhos. (Infelizmente, os pequenos comprimidos azuis não trarão de volta o teu desejo sexual de adolescente).

Além disso, pode nem ser uma questão física — as questões psicológicas influenciam muito no acto, especialmente em homens jovens, explica o Dr. Lee. Os inibidores não vão solucionar este tipo de problemas, tens mesmo de procurar um especialista e terapia sexual, pode também ser importante.