Nos últimos dias, têm sido frequentes na comunicação social as notícias sobre o estado crítico que os hospitais angolanos têm enfrentado, desde Novembro de 2015. Apesar da distância, MC Diamond, que vive no Brasil, quer ajudar a gerar uma onda de doações aos hospitais públicos no seu país.

A epidemia de febre amarela, malária e a falta de medicamentos básicos e material gastável têm elevado as taxas de mortalidade infantil a números preocupantes, constatando 30 mortes por dia só no hospital pediátrico de Luanda, confirma a RFI.

Do governo, sabe-se apenas que “já foram tomadas medidas para minimizar a crise nos hospitais públicos”. Enquanto isso, a sociedade civil tem-se manifestado nas redes sociais com o pedido de doações e críticas contra a as entidades competentes.

Entre as publicações, há Isabel dos Santos que partilhou no Instagram um pedido de medicamentos e materiais básicos efectuado por uma médica – post entretanto apagado devido à quantidade de críticas contra a alegada inacção da empresária -, e ainda a irmã Tchizé que fez uma doação de sangue.

MC Diamond, a residir actualmente no Brasil, também reagiu e criou uma campanha diferente. O artista que sempre recusou fazer beats para terceiros, informou, através do Facebook, que está disponível para produzir desde que seja efectuado um pagamento peculiar: doações aos hospitais.

Comprovada a entrega de donativos e MC Diamond encarrega-se de efectuar o beat desejado.

E o artista avisa: “Não adianta enganar dizendo que fez a doação e não fez, ou entregar uma doação ‘mixuruca’, pequenita, em troca do beat. Não estarei lá para conferir, mas o compromisso será entre a tua consciência e Deus.”

Captura de ecrã 2016-03-17, às 15.13.51