Um editor da Forbes afirma que o super-herói da DC Comics devia ter a pele escura, não necessariamente ser afro-americano, mas afinal de contas ele é de outro planeta, Krypton, logo devia ser de qualquer outra cor.

JV Chamary indica no seu artigo dizendo que a base da sua argumentação é a ciência. “A raça é importante para os super-heróis porque contribui para a sua identidade. E nas últimas décadas, os editores de banda-desenhada e os estúdios de cinema têm mudado substancialmente as personagens para reflectir uma sociedade étnica diversificada.”

Mas esta mudança não é inocente. “A iniciativa devia ser aplaudida mas essa mudança de identidade é a curto prazo e por motivos publicitários. Parece cínico, mas se os estúdios e as revistas tivessem uma intenção pura, a mudança seria permanente.“

Quanto à explicação cientifica sobre o tom de pele do Super-Homem, o melhor pigmento para absorver a radiação solar deveria ser preto, atendendo a que o sol aumenta as capacidades sobrenaturais da personagem e, num mundo real, a pigmentação mais escura é a que melhor nos protege dos efeitos da radiação ultra-violeta.

Contudo, respondendo à pergunta se alguma vez vamos ter um Super-Homem negro, aí a conversa é outra.

No mesmo artigo, o editor explica que diversidade étnica nem sempre é vista como politicamente correcta e que é muito pouco provável que a DC Comics venha a mudar a sua personagem. “O Super-Homem tem demasiada história. A raça de um super-herói é demasiado influente quando se trata de nos identificar-mos com a personagem. ”

[Fancy_Facebook_Comments]