O dinheiro pode mesmo comprar felicidade — se comprares coisas que completam a tua personalidade, sugere um novo estudo do Reino Unido.

Investigadores analisaram mais de 76000 compras, que 625 pessoas fizeram num período de seis meses e agruparam as compras em categorias, baseadas em como estas poderiam estar vinculadas a um traço de personalidade. Por exemplo, compras envolvendo “comer fora em bares”, estaria associada a traço de personalidade extrovertida (a pessoa que é social e divertida), enquanto que compras que envolvessem “instituições de caridade” e “animais de estimação”, estariam associadas a traços de personalidade e amabilidade (a uma pessoa que é amigável e tem compaixão).

Depois, os participantes preencheram um teste de personalidade, um inquérito sobre satisfação de vida e as suas operações foram anonimamente ligadas aos seus resultados.

Os investigadores descobriram que, no geral, as pessoas tendem a gastar mais dinheiro de forma a completarem a sua personalidade. Por exemplo, pessoas extrovertidas gastam em média mais $73 USD por ano em “bares á noite” do que as pessoas introvertidas, as pessoas com taxas de elevada consciência (isto é, que são disciplinadas e organizadas) gastavam em média mais $174 USD por ano em “saúde e exercício,” do que aquelas de menor consciência.

200142266-001

Além disso, o estudo mostrou que as pessoas que fazem mais compras que completam a sua personalidade relataram elevados níveis de satisfação com a vida, do que as pessoas cujas compras não completam a sua personalidade, explicam os investigadores.

“Historicamente, os estudos descobriram uma fraca relação entre dinheiro e acima de tudo o bem estar,” disse em declarações, um dos autores do estudo, Joe Gladstone. “O nosso estudo quebra algumas barreiras através de dados de transações bancárias actuais e demonstrando que gastar, pode aumentar a nossa felicidade quando é gasto em bens e serviços que se adequam á nossa personalidade e como tal vão de encontro ás nossas necessidades psicológicas.”

Numa segunda experiência foi mostrada uma ligação, ou associação, entre compras e felicidade, os resultados da segunda experiência sugerem que gastar dinheiro de forma a completar a nossa personalidade pode de facto causar uma melhoria na felicidade, dizem os investigadores.

Um melhor entendimento das ligações entre gastar e felicidade, pode levar a uma melhor recomendação personalizada de “como encontrar felicidade através de pequenas escolhas de consumo, que fazemos todos os dias,” diz uma das investigadoras, a Dra. Sandra Matz.

[Fancy_Facebook_Comments]