O relógio mais negro do mundo e que custa 95 mil USD

Um par de olhos humanos nunca serão capazes de identificar uma forma e modelo de material mais negro no mundo, do que o Vantablack.

Na verdade, o artista Britânico Anish Kapoor, o orgulhoso dono deste modelo, afirma que a única coisa mais escura do que o material acima mencionado é o buraco negro, no espaço.

Recentemente, a marca de relógios Suíça Manufacture Contemporaine du Temps (MCT) conjugou o relógio de pulso de alto acabamento chamado S-110 Evo Venta Black com o composto Vantablack.

Devido à aparente exclusividade do material, a MCT irá apenas lançar um total de 10 exemplares da edição especial de relógios Vantablack no final do ano e estes terão o aveludado valor de 95 mil USD.

Uma empresa Londrina chamada Surrey Nanosystems inicialmente desenvolveu Vantablack, que alguns podem confundir com verniz, mas na realidade é um verniz que contém uma incontável e intrigante rede de nano-tubos de carbono (fibras ocas cilíndricas feitas de grafite) que podem absorver cerca de 99,965% de luz. O material mais escuro do mundo é tão sensível que apenas a Surrey Nanosystems aplica meticulosamente a substância nos relógios da MCT. Este item de trabalho manual fenomenal apresenta uma face de cristal  no mostruário e uma bracelete de crocodilo preta. Para mais detalhes sobre o mecanismo, assiste ao vídeo.

Equipa BANTUMEN

A BANTUMEN é um magazine eletrónico em português, com conteúdos próprios, que procura refletir a atualidade da cultura urbana da Lusofonia, com enfoque nos PALOP e na sua diáspora.