Responsável pela morte de um em cada quatro cubanos, o cancro do pulmão pode ter agora um potencial inimigo, com a descoberta de uma vacina que aumenta a esperança média de vida dos doentes.

A vacina já está a ser testada e esta ainda é administrada em pessoas que já possuem a doença. Contudo, o sucesso ainda está longe do desejado, visto que “apenas 12 pessoas com menos de 60 anos tiveram uma boa resposta à vacina”, revela o Centro de Pesquisa do Cancro do Reino Unido.

Apesar de não curar definitivamente o cancro do pulmão, esta vacina prolonga a vida dos seus doentes por mais 15 meses, comparando com os 7,4 que os doentes sem vacina tiveram.