A França tornou-se no primeiro país do mundo a proibir a venda de loiça e outros utensílios descartáveis de plástico.

A lei, aprovada no mês passado e promulgada a partir de 2020, proíbe totalmente os sacos de plástico e faz parte do projeto Transição Energética para o Crescimento Verde, um dos processos para tornarem o país no líder mundial das práticas de redução de impacto ambiental e das emissões de gases de efeito estufa.

Até 2020, os fabricantes e estabelecimentos comerciais, incluindo restaurantes e supermercados, terão tempo suficiente para se adequarem às novas regras.

Contudo, esta nova lei não indica que é o fim dos utensílios descartáveis. Esses deverão ser 50% constituídos por materiais de origem vegetal e serem biodegradáveis. Os materiais incluem, em particular, amido de milho, amido de batata, fibras têxteis ou de celulose, ou de bambu. Cinco anos depois, em 2025, o conteúdo vai aumentar para 60%.

Estimativas apontam que 4,7 mil milhões de utensílios de plástico foram descartados em França em 2015 e cerca de 17 mil milhões de sacos de plástico são usados anualmente.