Já repetimos várias vezes que a masturbação faz bem à saúde, não é? Pois, mas quem o diz são os estudos que aponta vários benefícios a esta prática sexual consideranda ainda tabu por muitos.

As pessoas, que se sentem à vontade para se masturbarem, devem fazê-lo regularmente, sejam solteiras ou não, diz um estudo da Universidade de Sydney, na Austrália, que desmente os riscos da masturbação e afirma que a prática traz muitos benefícios para a saúde, tanto do homem como da mulher.

A revista Health explica que um dos pontos fortes da masturbação é o facto de impulsionador a qualidade do sexo, uma vez que permite que cada pessoa conheça e explore melhor o seu corpo e descubra os pontos que mais a excitam e dão prazer, o que é benéfico para a vida sexual do casal.

Tal como o sexo, a masturbação ajuda a relaxar e a ter uma melhor qualidade de sono. Mas não só: os orgasmos também ficam a ganhar, seja em quantidade como em qualidade. Emily Morse, especialista em relações sexuais e emocionais, revela à Health que a masturbação “expande o potencial orgásmico”, podendo mesmo ensinar muitos casais a tirarem melhor proveito do ato sexual em simultâneo.

Mas a masturbação não tem apenas um impacto positivo na qualidade do sexo e na intensificação do prazer. Conta a revista que as pessoas que se masturbam acabam por se sentir mais confiantes, seja com o próprio corpo ou com a capacidade de atingirem e oferecerem prazer, dois aspetos que são fundamentais para a saúde menta de uma pessoa, mas também para a qualidade de uma relação.