Muitos hábitos diários podem ser prejudiciais para a pintura do carro. Incidentes do quotidiano, tais como derramar acidentalmente combustível, a marca dos dedos nos vidros ou mesmo excrementos de pássaros podem deixar manchas e arranhões de longa duração sobre a superfície do carro, podendo até provocar corrosão.

Vê abaixo sete situações que podem arruinar a pintura do teu carro e como podes evitá-las:

1. Salpicos
O erro pode ser pequeno, mas pode causar um grande dano na pintura. Os insectos, por exemplo, são constituídos por elementos surpreendentemente ácidos, e se não forem devidamente removidos da superfície do carro, podem realmente danificar a pintura do veículo.
Sugestão: Não deixes por limpar os salpicos do carro por muito tempo – com o passar do tempo tornam-se mais difíceis de remover. Se agires rapidamente, tudo o que precisas é de um pouco de removedor de alcatrão, um pano macio e um pouco de graxa.

2. Óleo derramado
Embora a maioria das pessoas queira aproveitar até ao último centavo o combustível que mete no depósito do carro, e contabilizar cada centavo ao atestar o carro, enchê-lo até à borda na verdade aumenta a possibilidade de ter excesso de combustível e do mesmo se entornar no carro. Se não for logo limpo, o óleo derramado pode infiltrar-se nas camadas da tinta, fazendo-a perder o brilho, deixando uma mancha no revestimento que é muito difícil de remover.
Sugestão: para evitar deixar uma mancha de óleo castanha à volta da tampa do depósito de combustível do veículo, a solução é limpá-la o mais rapidamente possível com um pano de microfibra.

3. Os excrementos de pássaros
Os excrementos de aves não são apenas feios, mas podem realmente causar alguns danos sérios na pintura. Com uma alimentação cheia de bagas e sementes, esses dejectos ácidos podem manchar e arranhar a pintura, acabando com o brilho exterior durante bastante tempo.
Sugestão: Pulverizar um pouco com detergente de lavagem nas zonas afectadas e usar um pano de microfibra macio para limpar delicadamente, afastando assim os excrementos. Faz um movimento de elevação para evitar riscar a pintura.

4. Lascas de pedra
Pedras soltas, pedregulhos, cascalho estão por toda parte na estrada. Estas pequenas peças são típicas do próprio solo e a qualquer momento podem atingir uma face do carro, podendo lascar a pintura e o revestimento do carro, e por vezes até mesmo deixar marcas profundas na camada inferior da pintura, expondo posteriormente o carro às mudanças climatéricas. Muitos carros não estão sequer preparados para ficar neste estado.
Sugestão: É melhor retirar estes objectos o mais rapidamente possível, para evitar que os locais que ficaram danificados não sejam afectados pela ferrugem. A tecnologia de pintura 3-Wet da Ford utiliza tintas de alto teor de químicos sólidos, o que significa reunir a melhor solução, ou seja, elementos mais densos, tendo uma forte ligação entre os elementos da pintura, daí resultando uma maior protecção dos riscos superficiais.

5. As impressões digitais
Todos nós usamos os dedos para escrever mensagens engraçadas ou desenhar um boneco quando o carro está sujo. Mal sabemos nós que estes actos inocentes de brincadeira, podem estragar a pintura do carro. Arrastar o dedo sobre a pintura é como uma lixa, arrastando a sujidade e detritos pela pintura, que faz com que deixemos pequenas marcas que perduram muito tempo depois da própria sujidade superficial sair.
Sugestão: A maneira mais fácil de evitar isto não é usar um espanador para limpar o carro todos os dias para evitar acidentes sob a superfície, ou, se precisares de remover pequenos arranhões, podes polir o carro – lembra-te de lavar o carro antes do polimento.

6. Cinzas
O ar poluído pode deixar para trás uma camada de cinzas e fuligem. Embora muitas pessoas fiquem imediatamente inclinadas em lavar com alguma água, misturando assim a água com cinzas, pode criar produtos alcalinos. Isto poderá arruinar o acabamento do carro.
Sugestão: A maneira mais fácil de evitar que isto aconteça é manter o carro coberto se estacionares no exterior. Para deitar a cinza fora, deves afastá-la com cuidado apenas com um espanador.

7. Os acessórios de roupa suja
Independentemente de quantas vezes lavas o carro, se a limpeza for feita com panos sujos, pode provocar danos permanentes na pintura do veículo. Mesmo se limpares com um pano macio e mais fino de microfibras ou com uma esponja, se cair no chão vai agarrar pedaços microscópicos de areia e terra, mesmo que seja enxaguado. Se continuares a lavar o carro com acessórios sujos, pode ficar com arranhões e riscos.
Sugestão: Se o pano de lavagem ou esponja cai no chão, basta ir buscar um novo. É útil ter sempre connosco um ou dois panos de reposição, para evitar riscar o carro com acessórios sujos. Se puderes levar o carro com uma lavagem sem mãos, ainda melhor: uma lavagem desse tipo elimina a possibilidade de quaisquer peças microscópicas de sujidade ou areia entrarem em contacto com o carro.

A Ford, por exemplo, para garantir a qualidade e durabilidade da pintura, conta com uma ampla gama de testes que verificam tudo, desde o picador à resistência zero, para garantir que ele mantenha o brilho e a cor ao longo do tempo.

Entre eles, estão o Mar Resistance test, que mede a retenção do brilho, o Weathering Florida Accelerated test, que avalia a longo prazo, a durabilidade da pintura do seu carro relativamente à exposição ambiental, e o teste de resistência Chip Stone, que mede o impacto que o cascalho pode ter se bater continuamente na superfície do carro. Estes testes garantem que todas as acções do sistema de pintura da Ford estejam à altura da Ford, e resultem num acabamento mais forte, mais duradouro e mais resistente no que respeita aos veículos da marca.