As Guerrilla Girls são um grupo de activistas femininas que fizeram uma investigação sobre o trabalho de mulheres no mundo da arte. Os resultados foram publicados no início deste mês, na galeria Whitechapel em Londres, Inglaterra. Esta é a primeira exibição dedicada ao grupo na Grã-Bretanha.

Tendo como base um poster que publicaram em 1986, It’s Even Worse in Europe, realizaram um questionário em mais de 300 museus e apenas um quarto respondeu. Ao site Artsy.com, sobre a mudança do mundo da arte nos últimos três anos, o grupo admitiu” não querer ser spoiler mas que as estatísticas não são favoráveis”.

No início deste ano, o projecto tomou conta de 20 museus entre Minneapolis e St. Paul, cujos proprietários eram mulheres, focando-se nos diversos problemas do mundo artístico. Com 30 anos de história, o grupo confessa que ainda há muito a fazer seja na Europa ou nos Estados Unidos da América.

“Quando começámos há 30 anos, estávamos só chateadas. Agora há diversas maneiras de se ser criativo. Nós podemos criar novas redes de contacto e podemos fazer do mundo da arte, um mundo onde as pessoas queiram viver”, concluiram as Guerrilla Girls.

[Fancy_Facebook_Comments]