O festival DocLisboa vai acontecer de 20 a 30 de Outubro e vai levar à capital portuguesa mais de 250 documentários. O Lisboa Africana fez um roteiro dos filmes que retratam realidades relacionadas com África e que descrevemos abaixo.

TERCEIRO ANDAR
De Luciana Fina
2016 / Portugal / 62’
23 OUT / 22.00, Cinema São Jorge – Sala M. Oliveira
26 OUT / 19.00, Fundação Calouste Gulbenkian – Sala Polivalente

“Em que língua vamos contar as histórias que nos foram contadas? Em que língua escrever uma declaração de amor?” Lisboa, Bairro das Colónias. Fatumata e Aissato dialogam sobre o amor e a construção da felicidade.

FONKO
De Göran Hugo Olsson, Lamin Daniel Jadama, Lars Lovén
2016 / Suécia / 88’
20 OUT / 21.45, Cinema São Jorge – Sala M. Oliveira
23 OUT / 19.15, Cinema São Jorge – Sala 3

A grande revolução musical do nosso tempo está a ter lugar em África. Kuduro, coupé-décalé e ndombolo são estilos de música de dança, baseados em ritmos tradicionais e tornaram-se uma forma de expressão da identidade para toda uma geração. Narrado por Fela Kuti e Neneh Cherry. Algumas das imagens foram rodadas em Luanda, com Sebém e Cabo Snoop em primeiro plano.

DAMAIA DJ’ACABA MA INDA NU STA PA LI
De Daniel Veloso, Sofia Lemos Marques
2016 / Portugal / 50′
24 OUT / 14.00, Cinema São Jorge – Sala 3

Estrela d’África, um bairro de imigrantes cabo-verdianos na Damaia, Portugal, está prestes a ser destruído. Os Encarnação, a última família residente, vive com a incerteza da chegada das retroescavadoras.

ATÉ CHÁ VIRAR CAFÉ
De Celso Rosa
2016 / Portugal, Cabo Verde / 29′
27 OUT / 16.00, Cinema São Jorge – Sala 3

Numa viagem entre a Margem Sul e Cabo Verde, até chá virar café, o neto regista a avó e, como espelho, regista-se a si, procurando encontrar-se nas raízes familiares e opondo-se às narrativas colonialistas.

[Fancy_Facebook_Comments]