O Journal of Affective Disorders publicou um estudo que revela que dormir com os filhos pode ser um habito prejudicial para a saúde mental dos mais pequenos.

Foram avaliados quatro grupos de crianças: as que não dividiam a cama com a mãe (44,4%), as que só tiveram essa experiência quando eram jovens (36,2%) ou só mais velhas (12%), e as que dormem na cama dos pais com frequência (7,4%).

De modo geral, aquelas que partilhavam a cama com frequência demonstraram uma taxa mais elevada de problemas de saúde mental em relação aos que não o fizeram. A conclusão, de forma simplificada, diz que “a partilha de cama está associada a um aumento da ocorrência de interiorização de problemas aos 6 anos”.