Vem aí uma época festiva em que muitas vezes nos deixamos levar pelos excessos. Neste artigo, vamos elucidar-te sobre algumas dicas a ter em conta para que a tua condução seja defensiva, ou seja, pequenos gestos que te podem ajudar a prevenir grandes acidentes.

Os condutores aprendem uma série de regras e técnicas de condução defensivas, quando estão a tirar a carta de condução para depois enfrentarem o trânsito citadino. A maior parte destes ensinamentos tendem a ser esquecidos assim que fazem o exame e a condução diária passa a ser uma combinação de aceleração, travagens e acima de tudo, procurar não bater em algo. Mas há mais para se ser um grande condutor.

Alguns dos melhores condutores do mundo podem ser encontrados no automobilismo. Competir nas pistas mais difíceis do mundo em veículos de 500hp, como o premiado Ford GT em Le Mans, requer um conjunto específico de habilidades que não só tornam a condução eficiente e rápida como também segura. Chamamos a isto condução defensiva.

Condução defensiva é conduzir de forma a evitar uma colisão em quaisquer condições de Estrada ou de tempo”, diz Derek Kirkby, Director de Treinos para condução avançada em MasterDrive e no próprio programa Ford’s Driving Skills for Life (Habilidades de Condução para a Vida) – um programa abrangente que ensina aos condutores as técnicas da condução defensiva. Kirkby dá uma lista de dicas de condução que são aplicadas das pistas de corrida para fazer de todos melhores condutores.

Pega no volante como um piloto de corridas 

Os instrutores de condução convencional dizem-nos para imaginar o volante como um relógio e para colocar as mãos na posição das 10 horas e 10 minutos. Não faças isso, aconselha Kirkby. Esta convenção está desactualizada. Se um airbag enche em 0,03 segundos, com que rapidez consegues tirar as mãos do caminho?

Eis um hábito muito simples e que podes adoptar imediatamente. Usa a posição das 9horas e 15 minutos. É mais seguro se o airbag disparar e se perderes o controlo do carro mesmo por um segundo, você será capaz de te repor na direcção correcta instantaneamente – basta voltar a colocar os braços na posição de repouso. Esta posição é também mais sensível para voltas mais rápidas.

Fazer apenas uma coisa de cada vez 

Os pilotos de competição têm de tomar decisões em fracções de segundos e tu também o podes fazer se te concentrares em fazer uma coisa de cada vez – seja acelerar, travar ou conduzir. Lembra-te que qualquer coisa que faças que altere a direcção ou a velocidade do teu carro, pode afectar a tracção e a perda de tracção pode significar perda de controlo. Mais suave é mais seguro e mais rápido – trava antes de entrar numa curva e não quando já estás nela. Travar em plena curva pode levar-te a fazer peões ou a não travar o suficiente, entrando em derrapagem.

Não sigas os outros

Já reparaste que os carros de Fórmula 1 não têm luzes de travagem? No entanto, os pilotos conseguem não colidir uns com os outros em cada curva. Isto acontece porque eles não seguem o carro da frente, e tu também não o deves fazer. Instintivamente fazemos o que o carro da frente faz, mas tu não podes deixar que seja o condutor à sua frente a tomar decisões por ti. É francamente perigoso. Porquê confiar num desconhecido? Kirkby aconselha a olhar para lá do carro que segue à tua frente, através dele e do teu pára-brisa, se possível, e através dos espaços entre os carros.

Usa a língua para ter equilíbrio 

Esta tem graça. De acordo com Ross Bentley, antigo piloto de competição e autor da popular série Speed Secrets, pressionando a língua contra o céu-da-boca activa a mesma área do cérebro que é responsável pelo equilíbrio durante a condução e que está directamente relacionado com a forma como sentes o movimento do carro. Basicamente, ao fazer isto estás a aumentar a tua concentração, assim como a capacidade de resposta a cada movimento que o carro faça.

Virar com a mão correspondente

Ao conduzir, a direcção que escolhes deve ser coincidente com a mão que orienta o volante. Virar à esquerda – Usa a mão esquerda para orientar o volante. Vais para a direita? – Usa a mão direita para fazer o mesmo. No essencial, deves sentir que estás a puxar o volante para baixo e não a empurrá-lo para cima. Kirby explica que se estás a utilizar as fibras musculares de forma rápida, que significa que tens mais destreza e podes fazer ajustes mais rápidos de direcção, o que, em última análise, te dá maior controlo.

O carro vai para onde estiveres a olhar

Já reparaste como o carro sabe a direcção que procuras quando te distrais ou tiras os olhos da estrada por um momento? Trata-se da coordenação olho-mão e também funciona para onde queres ir. Em vez de te focares na estrada, foca-te onde queres ir. No fundo, Kirby aconselha-te a olhar para cima em frente para a metade superior do pára-brisas. As tuas mãos e pés levar-te-ão lá sem que penses nisso.