“Bastidores de uma Vida Aleatória”, a ascensão do trap brasileiro

Marcão Baixada é um artista que vem se afirmando como um dos principais expoentes musicais da Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro, Brasil, com o trap como porta estandarte.

O jovem rapper e produtor de 22 anos tem sido apontado como uma das revelações do rap no Rio de Janeiro. Com o seu grupo #ComboIO, com o qual já fez duas viagens internacionais e venceu o Take Back the Mic: A Copa do Mundo do Hip-Hop; ou em seu trabalho solo, que já lhe garantiu o Prémio Baixada 2015 na categoria Música.

​”Itinerante” é o nome do seu primeiro EP, concebido durante workshops de produção musical do Instituto Enraizados, logo após o single “Final Feliz” se estrear na rádio Multishow FM. A canção “Selva”, com participação de Luccas Carlos e que hoje contabiliza mais de 30.000 plays no Spotify, ganhou destaque na cena rap do Rio e fez com que Marcão fosse uma figura presente nos eventos de rua na sua cidade.

Em 2014, o videoclipe “Baixada Em Cena” foi destaque nos jornais cariocas “Extra” e “O Globo” e a mixtape “Black Friday” foi listada entre os 50 melhores lançamentos de Rap brasileiro em 2015 por sites referência locais. O clipe “Psico” marcou a nova estética sonora que o rapper tem procurado, com claras influências da linguagem do Funk Carioca; e garantiu a sua estreia nas rádios Roquette Pinto e MPB FM.

A nova mixtape, “Bastidores de uma Vida Aleatória”, é o resultado dos últimos seis meses em que Marcão esteve em estúdio à procura do seu estilo em cima de batidas de jovens produtores promissores do Brasil, como o goianiense Neguim. (Neguim Beats) e os cariocas DJ LN e F2L. Com fortes influências de trap e bass music, o rapper manifesta constantemente a sua egotrip em rimas de braggadocio, como no tiro inicial “Automóvel Clube”, mas que ao mesmo tempo carrega consigo duras críticas ao racismo institucionalizado.

Há também espaço para falar de festa, como em “Perde a Linha”; e até mesmo de amor em voz e violão na romântica “Tudo Que Elas Não São”, que se apresenta numa elegante base eletrónica e também numa versão acústica, com arranjos do músico Hollywood Mantra. Nas 12 faixas do projecto, Marcão  leva-nos a um cenário urbano e ligado à moda, que coexiste com a violência histórica da região em que vive.

TRABALHO DE PRETO
nv-author-image

Vanessa Sanches

Escrevo aqui e ali. Gosto de estórias que marcam histórias. Sou de Portugal, com veia cabo-verdiana, dois pés em Angola e coração em França. Africanidade, estilos de vida e música são os temas que me prendem a atenção, mas gosto de me distrair com politiquices e bizarrices.