Depois das fortes críticas do ano passado, com a hashtag #OscarsSoWhite a inundar as redes sociais, a mais influente academia de cinema do mundo surpreende com a maior nomeação de sempre aos Óscares.

Denzel Washington, Mahershala Ali e Viola Davis são os grandes actores que concorrem às principais categorias de Melhor Actor e Acrtiz e, pela primeira vez, uma mulher afro-americana, Joi McMilllon (Moonlight), foi nomeada para o Óscar de Melhor Montagem, e Bradford Young (Primeiro Encontro) é o segundo director de fotografia negro a ser nomeado na história dos prémios.

As nomeações estão a ser vistas como uma espécie de teste à conduta da Academia norte-americana, escreve a Asssociated Press (AP), uma vez que a organização dos Óscares foi muito criticada em 2016 pela ausência consecutiva de profissionais negros entre os nomeados.

O caso motivou uma onda de protestos e um apelo a um boicote na cerimónia de 2016, nomeadamente por parte do realizador Spike Lee e do casal de actores Will Smith e Jada Pinkett-Smith.

Na altura, a presidente da Academia, Cheryl Boone Isaacs, manifestou-se “destroçada e frustrada” pelas falhas da Academia em matéria de diversidade e disse que iria proceder a várias mudanças. Foram incluindos 683 novos membros, renovando uma organização que era composta sobretudo por homens, brancos e mais velhos.

Em declarações à AP, o afro-americano Barry Jenkins, indicado para melhor realizador por “Moonlight”, manifestou-se satisfeito pelas nomeações deste ano, sublinhando que “muito trabalho foi feito para que este ano não fosse anormal”.

“Adoro a indústria norte-americana de cinema e, ao ver isto, este ano, sinto que, de facto, reflecte o mundo em que vivemos e trabalhamos, dá-me esperança”, disse.

Este ano, além de Moonlight, a questão racial está subjacente a outros filmes, como Vedações – com Denzel Washington e Viola Davis -, Hidden figures e o documentário I am not your negro.

Nos quase 90 anos de história dos Óscares, nenhum realizador ou realizadora negra venceu a estatueta dourada de melhor realização. O mais próximo disso foi a atribuição, em 2014, do Óscar de melhor filme a 12 anos escravo, de Steve McQueen.

A 89.ª cerimónia dos Óscares está marcada para 26 de fevereiro em Los Angeles, Califórnia, com apresentação de Jimmy Kimmel. La La Land: Melodia de amor é o filme mais nomeado, em 14 categorias.