No Instagram há uma conta invulgar. Barbie, a famosa boneca, é a personagem principal, que conta a sua vida boa de samaritana em África. A conta é claramente uma irónica chamada de atenção para os inúmeros salvadores em nome próprio ou de ONG’S, que acorrem à urgência do salvamento da faminta espécie humana africana e dos seus safaris deslumbrantes.

Ainda no seu país de origem, Estados Unidos da América, Barbie prepara a sua grande viagem, publicando fotografias cujos comentários referem apenas a sua “aventura em África”, aquela região de “terra vermelha”, sem nunca especificar o país ao certo. Na bagagem, o mais importante é com certeza levar os seus botins de 12 cm e a sua mala de mão. Contudo, a  hashtag #NaVerdadeTenhoMuitoMaisBagagem, denuncia que provavelmente Barbie não vai chegar em “África” de mãos a abanar.

Uma das fotografias é particularmente irónica. Transcrevendo um dos versículos de Mateus, a boneca revela “Portanto, ide e fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”.

Chegada à “terra prometida”, que continuamos sem saber onde se situa, visto que África é a única localização fornecida nas fotografias, Barbie publica várias fotos cliché com crianças ou num safari com comentários espirituais, que classificam a sua viagem como uma peregrinação à qual a boneca do enviada com o objectivo da salvação do continente. “Primeiro, ela assustou-se com a cor da minha pele. Mas eu sei que vamos aprender uma com a outra. Estamos ligadas pelo nosso espírito e humanidade. E agora, pelas roupas. Sinto-me a mãe de todas as crianças deste país. Fui escolhida para isto”, pode ler-se num dos posts.

Esta conta de Instagram, além da ironia, pretende denunciar com humor a forma paternalista com que os ocidentais olham para o continente africano, quando para lá viajam com supostos objectivos humanitários.