França está no centro das atenções, consequência das eleições presidenciais deste domingo, 7, que deram a vitória do centrista Emmanuel Macron, com 66,1% de votos, contra 33,9 de Marine Le Pen da extrema-direita. Não vamos falar de política, mas vamos aproveitar a “onda” para falar de turismo, em Paris.

É claro que, se estás a planear a tua primeira viagem à capital francesa, é natural que tenhas de ter passagem obrigatória pelos Champs Elysées, Moulin Rouge, Sacré Coeur, Arco do Trinfo, entre outros. Contudo, temos algumas sugestões que te vão proporcionar uma experiência diferente na cidade das luzes, do romance e da moda.

+Little Africa: Apresentação do primeiro guia africano da cidade de Paris

Le Marais

Esta é uma zona emblemática das artes e da moda, que cria uma simbiose perfeita entre a arquitectura antiga e as opções de entretenimento e comércio contemporâneas. Situado no centro de Paris, a região atravessa o terceiro (Haut Marais) e o quarto arrondissement (Le Marais). Ali, encontramos várias pátios escondidos e boulageries onde vais poder arregalar os olhos de gulodice, o famoso Museu Picasso, antiquários, um mercado de rua na Rue dês Bretagnes, entre outras atrações. Conhecido pela grande comunidade judaica que ali vivia e fomentava os seus negócios, Le Marais é também um ponto de encontro multicultural. Hoje, é também famoso por ser núcleo da comunidade LGBTQ, com vários bares e restaurantes gay-friendly.

La Goutte d’Or

La Goutte d’Or, loja de pronto-a-vestir do Dandy do Congo Ja Bachelor

O bairro La Goutte d’Or faz parte do 18º arrondissement de Paris e congrega uma eclética comunidade africana. Se precisares de um salão de beleza, barbeiro ou qualquer produto de proveniência africana, este é o sítio onde deves ir. Este é o epicentro da moda africana de Paris, onde podemos encontrar vários ateliers de fashion designers. O nome, Gota de Ouro, da cor do vinho branco produzido pelas imensas vinhas que proliferavam na comuna de La Chapelle, no século 18.

Canal de Saint Martin

Canal de Saint Martin

Se quiseres fugir ao reboliço que é passear nos Champs Elysées, a avenida mais concorrida da capital francesa, sugerimos-te o Canal de Saint Martin, uma das paisagens escolhidas para rodar o filme O fabuloso destino de Amélie Poulin. Lá, poderás encontrar várias lojas de roupa e decoração e ainda restaurantes bastante agradáveis. Para quem gosta de um bom pique-nique, este é um cenário ideal.

Museu Quai d’Orsay

Museu Quai d’Orsay

Para fugir à fila gigantesca habitual do Museu do Louvre, podes optar por visitar o Quai d’Orsay. Situado no 7.º arrondissement, margem esquerda do rio Sena, o edifício construído em 1810 foi uma antiga estação de comboios, o que deixa a visita ainda mais interessante. Com um tamanho bem menor do que o Louvre, vais conseguir gerir bem o teu tempo e ver as fantásticas obras em exposição. A sala do Impressionismo é uma das preferidas do público.

Le Carreau du Temple

Carreau du Temple

Localizado no Haut Marais, no 3.º arrondissement, O Carreau du Temple é um edifício do século 19, que em tempos serviu de mercado. O espaço em si é emblemático, tendo sido um templário de cavaleiros na Idade Média e, mais tarde no século 18, foi um mercado de construção em madeira. Actualmente, é um espaço de cultura aberto ao público, onde por exemplo aconteceu a primeira feira de arte africana parisiense, da qual falámos aqui. Com uma programação contemporânea de teatro, shows, exposições, festivais e feiras – com temas diversos, desde os sapatos, a dança ou desporto – este é um espaço que não deves deixar de visitar.

Para conheceres outros recantos de Paris, que fogem um pouco ao que é apresentado nos roteiros turísticos, aconselhamos-te a ler também o nosso artigo sobre Little Africa, um guia dos recantos africanos na capital francesa.