O filme Rei Arthur: A Lenda da Espada estreou no passado dia 11 de Maio e, desde estão, tem sido uma desilusão para a Warner Brothers. O projecto cinematográfico custou cerca de 175 milhões de dólares e obteve até ao momento nas bilheteiras apenas 14.7 milhões, depois de ter estreado em 3 702 salas de cinema por todo o mundo.

Protagonizado por Charlie Hunnam, que veste a pele de rei Arthur, a película foi fortemente criticada pelo site Rotten Tomatoes, especializado em crítica cinematográfica. A Warner Brothers contou ainda com a parceria da Village Roadshow na produção do primeiro grande flop de 2017.

Para quem viu o trailer, este é um resultado que não se estava à espera. Os quase três minutos de vídeo que a Warner Bros. disponibilizou fez-nos acreditar que o filme tinha os ingredientes para dar tudo certo. Acção, fantasia, um herói que regressa para salvar o seu povo, tal como a história que fomos vendo ao crescer.

Até o elenco que tem estrelas como Jude Law, Eric Bana e Djimon Hounsou, que somam diversos sucessos de bilheteira entre si, parece não ter sido suficiente. Ao tentar arranjar uma justificação plausível, resta-nos olhar para o director Guy Ritchie, ex-marido de Madonna. Um director de cinema britânico, de 68 anos, que conta no currículo com 13 filmes realizados. Entre eles estão os dois Sherlock Holmes, que facturaram aproximadamente 500 milhões de dólares e ainda O Agente da U.N.C.L.E que teve menos impacto financeiro.

A redacção da BANTUMEN tentou perceber onde pode ter falhado esta receita que tinha tudo para não correr mal. Atenção que ninguém afirmou que isto seria um dos filmes do ano, mas ninguém estava à espera que o Rei Arthur: A Lenda da Espada fosse o primeiro grande flop de 2017.

Quem continua em primeiro lugar de filmes que lideram a expectativa é o “Guardiões da Marvel Vol.2”, filme da Disney e da Marvel que já atingiu os 200 milhões de dólares.