“Gratitude”, o novo álbum de Djeff Afrozila

Há mais de um ano que entrevistámos pela primeira vez o DJ e produtor Djeff Afrozila. Na altura, falámos sobre os singles “Reborn” com os Homeboyz e “So Blessed” e fizemos o preview de “Awakening”, com Helen Ting, a DJ chinesa da Kazukuta Records, que vive em Hong Kong, China.

Nessa altura, a direcção de Djeff era o lançamento de singles e levar a sua música o mais longe possível, e que por sinal é um objectivo mais do que cumprido. Desta vez, voltámo-nos a encontrar com o artista, novamente em Lisboa, para falar sobre o seu novo álbum Gratitude, um projecto que para o produtor é uma forma de agradecimento a tudo de bom que tem acontecido na sua carreira .

A nossa conversa começou com um resumo do que tem feito nos últimos tempos e que o tem afastado do estúdio para produzir músicas novas. Contudo, esse afastamento traduz-se nos inúmeros shows que tem dado em vários espaços à volta do mundo.

Hong Kong, Canadá, repetidamente nos Estados Unidos, entre outras paragens, fazem parte do seu roteiro mais recente. Há ainda o destaque para a passagem pela ilha da Martinica, território ultramarino francês no Caribe, para tocar durante duas noites para um público que pouco ou nada tinha ouvido falar de afro-house. Mesmo assim, a expectativa foi ultrapassada e Djeff levou a sua plateia ao delírio.

Este novo trabalho é diferente do álbum passado, Ascensão do Soldado, é composto por 15 músicas, nas quais explorou mais o estilo soulfull, deep house e o afro music. “Gratitude” está mais virado para a pista de dança, com uma maior exploração do beat.

Sem querer deixar os estilos que o caracterizam, como o afro-house, Djeff está mais de olho nos estilos “das massas”, como o techno house e o deep house, juntando a estas sonoridades o afro. Isto, sem a necessidade de criar novos estilos, mas explorado o afro-techo.

Djeff Afrozila | @Eddie Pipocas / BANTUMEN

“Não vou tocar numa festa música de outros artistas quando posso fazer a minha música e fazer o público curtir à séria”

A viver em Angola há mais de oito anos, e um dos primeiros disc jockey a dar atenção ao afro-house, hoje tem plena noção do seu lugar de destaque no país e acredita que, mais uma vez, o público angolano vai saber receber bem esta sua evolução musical.

Voltando ao álbum Gratitude, que é pensado ainda mais num público internacional, conta com algumas participações de talentos lusófonos como Dino d’Santiago, Kady, a cantora e mulher do cabo-verdiano Djodje, e dos angolanos Homeboyz (com mais um tema além do single “Reborn”) e Ana Jorge, participante do The Voice Angola. Há ainda nomes como OVEOUS, Ron Carroll & Aires Adora, Tumelo, Miranda Nicole e a nossa já conhecida Helen Ting.

Faz play no vídeo abaixo e vê e ouve a entrevista:

 

TRABALHO DE PRETO
nv-author-image

Eddie Pipocas

Founder and Editor-in-Chief at http://bantumen.com | My biggest ambition is to perpetuate stories on the web