Opinião: GOT (Game of Thrones) in Election’s Year

O título em inglês é a prova de que a educação em Angola não está assim tão mal… está pior.

E lá vamos nós, novamente. Se a moda de se fazerem cumprir datas pega… daqui a cinco anos voltamos a ter eleições. Não sei se estamos preparados. Se chegar a horas na segunda-feira ao serviço… é difícil… imagina o exercício democrático que é, eleições de cinco em cinco anos. É que desconfio que nem temos água para tanto dedo sujo. É que são quase dez milhões de pessoas a votar… mais os mortos, os recém-nascidos, os menores de idade… E ainda falta introduzirem as autárquicas né?! Sinceramente, não sei onde esta gente anda com a cabeça… quer dizer, se calhar é no trono né?!

Começo por me introduzir: sou um cidadão angolano, nascido em Portugal.

É verdade, sou desses… que reclama da falta de água… mas também não toma banho. Fala da falta de energia… mas nunca acartou água para ajudar a encher a Laúca [barragem inaugurada este ano na província de Malange]. Diz o que está errado… porque é evidente e não por estar descontente. Por esta altura, o leitor pode não saber se está a ler um artigo mais ou menos assim-assim… ou o discurso de um qualquer “líder” de um partido da oposição. Deixa lá… eu também não.

O que eu desejo é o poder de ser lido. E o que um líder da oposição deseja é o poder… de ser ouvido… e nunca incompreendido.

Bem, sendo honesto… é o desejo de qualquer líder… africano. Porque há uma diferença entre líder… e líder africano. O líder… lidera, independentemente dos recursos. O líder africano… lidera dependendo dos recursos. Não temos culpa que o continente seja tão fértil… e condicionado. Como disse uma vez o camarada Presidente José Eduardo dos Santos… “quando eu cheguei… já encontrei…”

Por momentos vacilei se escrevia emérito… mas depois achei desnecessário… e ele também.

Outra evidência aqui… é o timming. Por esta altura, era meu desejo que o leitor já tivesse conhecimento do resultado das eleições. E se calhar já tem. Parece que Angola é o único país em que os eleitores, antes de votarem… já sabem quem é o vencedor. E desta vez são maioritariamente três, os partidos vencedores. Como já foram em 2012 e em 2008. Nada de novo, aliás. Muda apenas a FNLA, que perde preponderância, tal é a sua instabilidade interna… e entra a CASA-CE. Com o Makuta Nkonda a fazer crer que o Bento Kangamba é uma Yola Semedo. Sim, porque depois do discurso incitando à violência… todas as pérolas do BK [general Bento Kangamba, também dono do clube Kabuscorp]… parecem, afinal de contas… momentos de introspeção à Nagrelha. E nunca ninguém lhe levou a mal. E o Abel … mais parecia Caim. Cheio de calor… coitado. A juntar isso… parece que temos um mimoso… NÉ VERDADE?

Verdade seja dita… a guerra já acabou… de começar.  O trono do qual Zedú acaba de abrir mão… tem tanto de coisas más… como tem… de coisas mais ou menos. As boas, aos olhos de todos… já eram. E não devem voltar tão cedo. Refiro-me ao petróleo … que ao preço que está… podemos facilmente encontrar nos fardos. Ou à venda no mercado do Kinaxixi… se esse, ainda existisse.

Quanto aos vencedores antecipados, todos eles… eu chamo a isso, a arrogância partidária. Ou a vitória dos perdedores. Aqui, refiro-me a todos os partidos sem excepção… uma vez que quem ganha são os partidos… não os angolanos. Mas são os angolanos que sustentam os partidos. Nunca percebi muito bem essa matemática. Talvez por isso, eu seja mais dado às letras. E quem diz letras, diz livranças… e claro está, através do preço do petróleo… cheques sem cobertura. Eu e… muitos outros. A diferença é que eu nunca tive PAIXÃO… no BPC.

A vitória é tão certa para os três principais partidos representados no parlamento… que damo-nos ao luxo de ter três sensos para confirmar isso mesmo. É o chamado… senso comum. Deve ser. Só pode ser.

E mais milhares foram gastos. É verdade… já não são milhões… aliás… milhões é algo que agora, certamente, se fala menos do que há uns anos. E governar com milhares… milhões… deve ser bonito deve.

Quanto a mim, exerço os meus direitos de tal forma… que esta espécie de artigo de opinião… é nada mais nada menos do que isso mesmo. Uma espécie de opinião de nada com coisa alguma.

Espero que estejas consciente do teu voto. Espero que isso não te iniba de reclamar, manifestar, opinar e sobretudo… contribuir. Para um país que se quer nação… onde todos têm direitos, cumprem com os seus deveres… e assumam as suas responsabilidades. Porque essa brincadeira de levantar o braço na assembleia sem consciência… não pode acabar. Porque se acaba… eu fico sem o que escrever. É daí que vem a origem do molho agridoce. Deve ser. Só pode ser.

Despeço-me com uma citação do primeiro Presidente de Angola depois do Salazar – que foi, antes que os portugueses se esqueçam…, o primeiro “dono disto tudo”- mas actualizada, porque é isso que o tempo faz. Inova. Moderniza. Muda… mas nunca, nunca pára:

“A luta é contínua… a vitória… um dia… a gente acerta”

Para conheceres melhor o humorista Tiago Costa, lê a entrevista Tiago Costa, o humorista habituado a andar no limiar da liberdade de expressão

 

 

TRABALHO DE PRETO
nv-author-image

Tiago Costa