A série Star Trek: Discovery, a nova versão televisiva baseada na saga de ficção científica, que acompanha a USS Discovery dez anos antes das aventuras protagonizadas por Kirk, Spock e a nave Enterprise, estreia, esta segunda-feira, na Netflix.

O original Star Trek (O Caminho das Estrelas), que celebrou no ano passado meio século, desde a emissão do primeiro episódio, a 8 de setembro de 1966, é considerado até hoje um ícone da cultura pop e da ficção científica, marcado pela frase “Espaço, a fronteira final”, que dava início à aventura criada por Gene Roddenberry.

Com o passar dos anos, o título sofreu uma alteração e passou a Star Trek: The Original Series, para ser diferente das séries que vieram a seguir: The Next Generation, Deep Space Nine e Voyager e Enterprise.

Passada no século XXIII, a série segue as aventuras da tripulação da nave espacial USS Enterprise, comandada pelo Capitão James T. Kirk, o primeiro-oficial comandante Spock e o oficial médico chefe Leonard McCoy.

Segundo o site oficial, a série regressa agora pela mão dos criadores Bryan Fuller e Alex Kurtzman, sob o título Star Trek: Discovery, e responde à pergunta: o que aconteceu uma década antes do tempo em que o Capitão Kirk e o Dr. Spock, da série original Star Trek, viverem as suas aventuras a bordo da Enterprise.

Isso significa que Star Trek: Discovery se desenrola por volta dos anos 2250, o que coloca a série na primeira linha temporal, em que tudo – desde Enterprise à Voyager – aconteceu.

A nova série vai seguir as personagens a bordo de duas naves, a USS Shenzhou, comandada por Philippa Georgiou, interpretada por Michelle Yeoh, e a USS Discovery, liderada por Gabriel Lorca (Jason Isaacs). Contudo, a protagonista é Michael Burnham (Sonequa Martin-Green), que se assume como a líder e através de quem a história é contada.

A história vai girar em torno da guerra que irrompe entre a Federação dos Planetas, de que a Enterprise será o principal meio de vigilância e combate, e o Império Klingon, com uma oficial da Frota Estelar, caída em desgraça, no centro do conflito.

No primeiro episódio, intitulado “The Vulcano Hello”, a comandante Michael Burnham, da nave da Federação USS Shenzhou, contesta a postura pacífica da sua capitã quando se deparam com forças hostis.

A primeira temporada de Star Trek: Discovery vai ter 15 episódios e será transmitida na Netflix, que obteve os direitos internacionais para transmitir a série em 188 países. O acordo torna possível que os novos episódios estejam disponíveis na plataforma menos de 24 horas depois da estreia na CBS, o que aconteceu no domingo passado.

A plataforma de streaming garantiu ainda os direitos de todos os 727 episódios já feitos de Star Trek, incluindo os episódios da série original.

De acordo com comunicado da Netflix, “os oito primeiros episódios podem ser vistos todas as segundas-feiras até ao dia 6 de novembro na plataforma (exceto EUA e Canadá)”, enquanto a segunda parte recomeça em janeiro de 2018.