A UNESCO lançou em 1972 a Convenção para Protecção do Mundo Cultural e Natural – um programa de preservação global – mas a iniciativa abrange apenas monumentos e edifícios, não contemplando a parte imaterial da herança histórica e cultural, como a fotografia e o audiovisual. Para colmatar essa lacuna e se tornar na referência da conservação do património fotográfico em África, nasceu a Xaritufoto, em 2010, no Senegal.

A ideia surgiu através de Roger Da’Silva – um veterano da Segunda Guerra Mundial nascido em Porto Novo, no Benim – e Baîdy Sow – um reconhecido fotojornalista e antigo tesoureiro da Associação Senegalesa de Filmmakers.

LER+: Indi Nunez eleito um dos melhores fotógrafos em Portugal pela While Away

“A Convenção para a Salvaguarda do Património Imaterial, interesse fundamental para as culturas ameaçadas, artesanato, expressões artísticas vivas, foi adoptada em 2003. As obras-primas propostas são uma expressão cultural viva ou ameaçada.

A resolução de Xaritufoto, a conservação do património fotográfico, irá preencher a ausência de uma estrutura real capaz de iniciar e coordenar programas de salvaguarda e valorização dessa riqueza composta por dezenas de milhões de fotos essenciais desse período”, indica-nos o site da associação.

 

Escrevo aqui e ali. Gosto de estórias que marcam histórias. Sou de Portugal, com veia cabo-verdiana, dois pés em Angola e coração em França. Africanidade, estilos de vida e música são os temas que me prendem a atenção, mas gosto de me distrair com politiquices e bizarrices.