Médicos avançam que o Hip-Hop tem o poder de curar problemas neurológicos. Segundo o Daily Mail, cientistas da Universidade de Cambridge estão a explorar os cérebros de cada rapper e o efeito que a música tem no corpo e na mente.

Ler+ “Save That Shit” é o primeiro videoclipe de Lil Peep depois da sua morte

O grupo de investigação descobriu que a arte de improvisar coloca o cérebro dos rappers num “estado que concentra as parte responsáveis pelas emoções, linguagem, motivação, função motora e o processamento”. Esse é o tipo de estimulação que faz com que tenhamos uma saúde mental equilibrada.

O rap tem sido, ao longo do anos, um estilo musical associado ao machismo, à promoção à violência e ao abuso de drogas. Contudo, a nova geração cada vez mais acredita nos benefícios terapêuticos da música.

Em 20124, os doutores Akeem Sule e Becky Inkster, do departamento de Psicologia de Cambridge, publicaram um estudo sobre usar o hip-hop como terapia. Uma instigação que explorou as diversas maneiras em que a música pode ser um bem maior na cura de doenças do foro psiquiátrico.

“Acreditamos que este é um novo movimento e uma nova cultura. Se as pessoas estiverem abertas ao Hip-Hop, a música vai ser a sua cura”, disse Inkster ao Mashable.

Em 2016, o numero de escolas em Nova Iorque, nos EUA, a integrar Hip-Hop no currículo académico aumentou. A cadeira chama-se Hip-Hop Therapy e os professores ensina os estudantes formas saudáveis de se expressarem.