A mostra é comissariada por Petra Joos e Enrique Juncosa, curadores do Guggenheim Bilbao, vai incluir peças produzidas por Joana Vasconcelos nos últimos 20 anos e constitui a primeira exposição individual de um artista português neste museu, desde a sua abertura ao público, em outubro de 1997.

Ler+ Hip-Hop ajuda a combater doenças neurológicas

O Patronato da Fundação Guggenheim Bilbao aprovou, na segunda-feira passada, a programação da instituição para 2018, que vai obedecer ao tema global “Fundamentos da arte atual”, destacando-se, neste contexto, as retrospetivas dedicadas aos artistas Henri Michaux (1899-1984) e a Marc Chagall (1887-1985), segundo o comunicado do museu.

A “retrospectiva de seis décadas de experimentação” de Henri Michaux será inaugurada a 2 de fevereiro de 2018, ficando patente até 13 de maio, enquanto a mostra dedicada a Marc Chagall, no segundo semestre, se centra nos “anos decisivos” do artista de origem russa, em particular no período de 1911–1919, quando se verificou “a máxima evolução artística do autor”, segundo o museu.

No âmbito das exposições temporárias do Guggenheim Bilbao, para 2018, inclui-se ainda uma retrospectiva dedicada ao escultor Alberto Giacometti (1901-1966), o regresso da coleção Thannhauser, de arte impressionista e pós-impressionista, depositada na instituição, uma exposição individual da artista basca Esther Ferrer e outra sobre a produção chinesa contemporânea.

“Architecture Effects”, sobre as relações entre arte e arquitetura na era digital, com criações em vídeo dos artistas Michael Snow, Diana Thater e Javier Téllez, completa a programação de 2018, anunciada pelo Guggenheim Bilbao.

David Hockney, Amie Siegel e Annie Albers são os protagonistas de exposições individuais que se encontram actualmente patentes no Museu Guggenheim Bilbao.

A mostra de Joana Vasconcelos, no museu espanhol, acontece depois da presença no Palácio de Versalhes, em 2012, da presença na Bienal de Arte de Veneza, em 2013, que constituiu a representação oficial portuguesa, e da exposição no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa, no mesmo ano.

A primeira exposição antológica de Joana Vasconcelos realizou-se em 2010, no Museu Coleção Berardo, em Lisboa, com o título “Sem Rede”.

O Museu Guggenheim Bilbao recebeu este ano, de 1 de janeiro a 30 de novembro, mais de 1,2 milhões de visitantes, o que corresponde a um aumento de 14% em relação ao mesmo período de 2016, conforme um comunicado da instituição.